terça-feira, 4 de janeiro de 2011

O Monarca de: O Leviatã



Na postagem inaugural deste blog, trago uma parte do desenho da capa do livro “O Leviatã”, publicado em 1651, por um dos principais teóricos do sistema absolutista, o filósofo inglês Thomas Hobbes (1588 a 1679). Obviamente se contextualizarmos historicamente o período citado, chegaremos a conclusão de que o mesmo refere-se à formação dos Estados Nacionais europeus, fato este que, cronologicamente falando, ocorre após o fim do período medieval, que estendeu-se do século V ao XV.
Diante das inúmeras mudanças ocorridas na época, tanto nos campos estruturais da sociedade, da economia, da política e da cultura européia, Thomas Hobbes, apresenta em sua obra uma justificativa, eficiente à sua época, para a necessidade da constituição de uma centralização absolutista do poder político.
Sendo assim, vamos ao simbolismo dos principais elementos contidos na figura proposta:
1.       A Coroa representa o sistema político defendido por Thomas Hobbes em sua obra, a Monarquia. Neste caso, a coroa é usada também para fazer alusão ao líder político deste sistema, o Rei ou Monarca;

2.       A Espada, à mão direita do rei, simboliza uma das mais fortes justificativas para a formação do Absolutismo, a segurança (o exército nacional). Em O Leviatã, Hobbes diz que “O Povo renuncia tudo em troca do grande dom da segurança”;

3.       O Cetro, à mão esquerda, simboliza o poder soberano do monarca. Diante desta observação, é válido lembrar que o monarca absolutista acumulava os poderes políticos (executivo, legislativo e judiciário) e econômico (através das medidas mercantilistas) e através destes, somado ao apoio concedido pela Igreja, exercia um forte controle social;

4.       Ao observarmos com um pouco mais de atenção o corpo do rei, perceberemos que o mesmo é formado por pessoas. Neste caso, a imagem é uma perfeita ilustração da origem do poder real, pois segundo Hobbes: “O governo absoluto havia sido estabelecido pelo próprio povo”;

5.    A proporção (tamanho) destinada à figura do rei, deve ser atribuída ao poder real. Na figura acima, fica a sensação de que a autoridade monárquica alcança facilmente todo o território nacional, ou seja, nos é passado a ideia de um controle estabelecido que podemos chamar de governo.

               Enfim, para a História "a imagem é um 'texto' e portanto deve ser lida".
              Ficaria imensamente grato se após a leitura desta postagem, você pudesse avaliar e comentar a mesma.

                 Atenciosamente,
                 Prof. Hermes Júnior



24 comentários:

  1. PARABÉNS PROFESSOR HERMES,A EDUCAÇÃO SE FAZ COM SERIEDADE E MUITA DEDICAÇÃO CONTINUE ASSIM O BRASIL PRECISA DE PESSOAS COMO VOCÊ. SEU BLOG SERÁ DE GRANDE VALIA PARA EDUCADORES E CURIOSOS DE PLANTÃO.

    ISAMARA (PEDAGOGA)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns chefe!!!
    Temos orgulho de você.
    Que seja um blog de sucesso.

    DAniel SOuza

    ResponderExcluir
  3. Oh Junior, depois desta postagem não ficou nada para comentar!

    Trabalhou todos os detalhes da imagem!

    Parabéns meu amigo!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Júnior!

    Destes início a um promissor trabalho e você, como dedicado profissional, assume mais uma brilhante missão: promover o ensino de História além das paredes das salas de aula.

    Muito sucesso e continue escrevendo bem e didaticamente como nas primeiras postagens!

    Forte abraço,
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. Valeu Jorjão pela força concedida meu caro!
    Sinto-me lisojeado por ter você, um grande profissional da educação, contribuindo com este espaço.

    Forte abraço,
    Hermes Júnior

    ResponderExcluir
  6. Talvez esta seja uma das ilustrações mais emblemáticas na história da ciência política moderna. Produzida por Abraham Bosse para a capa do livro Leviatã, de Thomas Hobbes, em 1651, esta ilustração executa uma educação política-visual há séculos.
    Poucas são as imagens posteriores a ela que associam de maneira tão intensa um ideário político à sua representação gráfica.

    ResponderExcluir
  7. Iai "Clara", fiquei extremamente feliz com o vosso prestígio concedido ao blog. Desde já, é uma honra tê-la por aqui!
    Repito, diante da perfeição das tuas palavras, o trecho final desta postagem que fala que "a história encara a imagem como um texto e por isso mesmo ela deve ser lida" e esta figura expressa muito bem essa relação entre conteúdo e representividade.

    Beijão querida!

    ResponderExcluir
  8. parabens pelo seu trabalho se voçe continuar assim vç vai dar para um otimo historiadior.

    ResponderExcluir
  9. Adorei a explicação,bem resumida e objetiva! Parabéns (:

    ResponderExcluir
  10. Parabéns, sou estudante de Direto e na minha cadeira de Teoria Geral do Estado estudamos sobre a obra O Leviatã e esse texto foi o melhor que eu encontrei para explicar as interpretações da Figura do Leviatã em relação ao conteúdo politico de seus escritos!

    ResponderExcluir
  11. Valeu Diogenes!
    A imagem é um texto não verbalizado, mas que no silêncio dos elementos dispostos na cena, expressa uma série de informações valiosas a respeito de determinados conteúdos.
    Espero que possa continuar a acessar o Blog Historia por Imagem, será uma honra!

    Forte abraço!!!!
    Hermes Júnior

    ResponderExcluir
  12. Professor, obrigada pela explicação, definitivamente salvou meu trabalho de ciência política.hehehehehe

    ResponderExcluir
  13. Ok! Fico feliz em ter colaborado para com o seu trabalho. Seja muito bem vindo(a) ao Blog História por Imagem. Forte abraço!

    Hermes Júnior

    ResponderExcluir
  14. Gostei muito da sua análise. Sou estudante de história e divulgarei este blog na plataforma da minha faculdade. Parabéns.


    ResponderExcluir
  15. Perfeito. Parabéns. Peço permissão para publicar no FB.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom professor, me ajudou bastante !

    ResponderExcluir
  17. me lembrou de tudo que prescisava para a faculdade!! obg!!

    ResponderExcluir
  18. Vlw prof, tenho uma apresentação amanhã sobre o Hobbes.
    Boa noite :)

    ResponderExcluir
  19. uma verdadeira obra de Thomas Hobbes...somente quem estudas esse grandes filosofico, sabe a sua importancia no centro academica.

    ResponderExcluir
  20. sem comentários. a única palavra que pode chegar perto de descrever seu texto é exepcional. adorei seu trabalho, me ajudou muito
    :)

    ResponderExcluir