terça-feira, 18 de janeiro de 2011

ÀS BENÇÃOS DO PRÓPRIO NAPOLEÃO


A imagem acima reproduz uma parte do grande quadro do pintor francês Jacques-Louis David, que retrata “a coroação de Napoleão e Josefina”, ocorrida em 1804 na Catedral de Notre-Dame. O quadro foi pintado entre os anos de 1805 e 1807, e atualmente encontra-se exposto no Museu do Louvre, localizado na cidade de Paris, na França.
Norteado pelos elementos simbólicos da imagem proposta, podemos perceber que embora Napoleão Bonaparte visse a Igreja com certa desconfiança, buscou o apoio do clero a fim de ampliar a legitimidade de seu governo. Isto torna-se evidente, através da presença de integrantes da Igreja Católica, dentre eles, a sua liderança maior, o papa Pio VII.
Napoleão procurou dar à sua coroação o mesmo significado simbólico que teve a coroação de Carlos Magno, muitos séculos antes. Por isso, no ato de sua coroação, Napoleão entrou na catedral com a espada e usava o manto do imperador franco.
À semelhança de Carlos Magno, Napoleão também foi coroado em dezembro, mês do natal, e não poupou esforços para que a cerimônia fosse realizada com luxo e requinte. Napoleão e Josefina compareceram ao evento vestidos de veludo bordado e seda trabalhada em ouro e prata. A coroa de louros dourados, usada por Napoleão, evocava o esplendor da Roma Antiga.
Um pequeno detalhe, no entanto, tornou especial este dia inesquecível: na hora H, Napoleão surpreendeu a todos com o seu gesto: retirou a coroa das mãos do papa, deu as costas a ele e se autocoroou “imperador dos franceses”. A seguir ele próprio coroou Josefina, sua esposa.
O pintor procurou fixar o exato momento em que Napoleão está prestes a coroar a si mesmo. Enquanto isso, a futura imperatriz aguarda ajoelhada. Ao coroar-se, Napoleão provavelmente quis dizer que nem o chefe da igreja estava acima dele. Aliás, perante a perfeição da obra analisada, não podemos deixar de destacar a feição de desaprovação contida no rosto do papa diante da atitude de Bonaparte.
Outro aspecto a ser lembrado aqui, refere-se a escolha de Jacques-Louis David. Esta sem dúvida não foi casual. Ele era o pintor oficial de Napoleão e adotava o estilo neoclássico. Ora, o neoclassicismo buscava inspiração nos temas da Roma e da Grécia antigas. Era, portanto, um estilo que desejava equiparar-se aos antigos imperadores romanos. A festa de coroação obedeceu a um ritual semelhante em tudo ao que era dedicado àqueles imperadores.
Bom... como apenas exploramos uma parte aproximada do quadro de Jacques-Louis David, deixo para os curiosos o link que permite acessar a belíssima obra por inteiro: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/39/Jacques-Louis_David_006.jpg

Aguardo vossa participação!
A base deste texto foi retirada do livro História, Sociedade & Cidadania de Alfredo Boulos Júnior utilizado como fonte de pesquisa e devidamente adaptado.


6 comentários:

  1. Prezado Professor
    Parabéns pelo seu excelente blog.
    Estou estudando Comunicação Visual, e em meu trabalho de História da Arte - período Neoclássico- utilizarei, estes teus escritos, como parte de meu trabalho, pois achei muito importante estas informações.
    Também tenho um blog, mas, ainda está longe, da qualidade deste seu....Mas, um dia chegaremos lá!...E é através de pessoas cultas e bem intencionadas, como o senhor, que conto com isso,e, também, para aprender e modificar pensamentos, e criar novas visões de mundo!
    Muito Obrigada
    Bete

    ResponderExcluir
  2. Olá Bete, tudo bem!
    Fico feliz primeiramente pelo vosso acesso ao blog e também pelas vossas palavras de incentivo. Quanto a usar as informações do blog, se estas forem úteis, sinta-se a vontade.
    Adoro essas coisas de enigmas, simbologia e as história me proporcionou isto por meio das imagens. É incrível pensar que uma "simples" tela,fotografia ou símbolo de determinada época, aparentemente "inofensivos" guardam um teor histórico gigantesco que pode acabar por nos revelar aspectos políticos, sociais, econômicos ou culturais, ou ainda todos juntos a depender da obra.
    Ah... deixa o endereço do seu blog ai que darei uma olhada. Ele deve ser muito bom!

    Forte abraço!
    Hermes Júnior

    ResponderExcluir
  3. Soube desta e de muitas outras histórias através dos guias franceses. Muito interessante pesquisar os detalhes para manter o conhecimento. Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Analise bem Precisa das Imagens... Bom Trabalho.

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Eu queria saber quem é a mulher atrás sentada, muitos falam que é a mãe dele mas é verdade?

    ResponderExcluir